Carteira de vacinação internacional poderá ser retirada em todo o Brasil

Países como Bolívia, Índia e África do Sul exigem que seus visitantes sejam vacinados contra a febre amarela. No Brasil, após a imunização contra a doença, a norma vigente estabelece como obrigatório o deslocamento do viajante até um posto de atendimento credenciado pela Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, para que ele possa retirar o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP).

No Estado de São Paulo esses postos estão localizados em alguns aeroportos e oferecem atendimento apenas entre segunda e sextas-feira, durante o horário comercial. A par desta realidade – e a pedido de uma agência de turismo associada à Aviesp – Associação das Agências de Viagens Independentes do Interior do Estado de São Paulo -, William Périco, presidente da entidade, encaminhou um ofício aos diretores da Anvisa e da Infraero – e também ao ministro do Turismo –, relatando o problema e sugerindo soluções para o problema.

A resposta foi dada pela Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados, informando que a Anvisa já vem credenciando postos de saúde para emitir o CIVP e que, atualmente, já são 11 municípios no Estado credenciados para a atividade e mais de 90 centros em todo o país, o que facilita o processo para o passageiro. Entretanto, o atendimento permanece durante o horário comercial entre segundas e sexta-feiras, dada a redução no quadro de funcionários do órgão federal.

“Por meio desta decisão da Anvisa, de descentralizar dos aeroportos a emissão do CIVP, o país inteiro sai vitorioso. Este é um passo que deveria ter sido dado antes, mas que ainda assim representa um ganho enorme para o setor como um todo”, realça Périco. Para conferir onde são os centros de atendimento que emitem o certificado, acesse http://aviesp.com/centros-de-orientacao-para-a-saude-do-viajante.

Fonte: AVIESP

Related posts