Marcos Arbaitman: trabalho e otimismo para conter os efeitos da crise

A Maringá Turismo está completando 58 anos, no entanto, o seu presidente Marcos Arbaitman, contabiliza 53 anos de atuação no turismo. Há mais de meio século, ele adquiriu a agência que hoje é uma das principais do país no segmento corporativo. Neste período, ele também atuou como secretário de Turismo nas gestões Mario Covas e Geraldo Alckmin e hoje é coordenador do Conselho de Gestão de Turismo da Prefeitura de São Paulo.

Ele recebeu a reportagem do M&E no seu escritório no centro de São Paulo para falar sobre estes 50 anos. Histórias não faltam, afinal Arbaitman é uma das pessoas mais bem relacionadas do Turismo. Prega otimismo e, como sempre diz, muito trabalho para que o setor volte a crescer. “Gostaria que o mercado reanimasse. A nós, não interessa que uma empresa do ramo quebre, pois afeta a todos”, disparou.

Íntimo do prefeito paulistano, João Dória, Arbaitman revela conversas frequentes sobre os problemas da cidade e admite já ter dado algumas dicas e conselhos ao político. Empresário de sucesso, é atuante também na área cultural e em trabalhos sociais. Um dos destaques é a Associação dos Amigos do Menor pelo Esporte Maior (Amem), da qual é fundador e membro do conselho. Um dos legados de sua atuação na política.

Não interessa que uma empresa do ramo quebre, pois afeta a todos

Advogado de formação entrou no Turismo pelas mãos de Sérgio Miele, então proprietário da agência Amazontur. Em pouco tempo, se tornou o melhor vendedor da agência e teve na época o seu trabalho observado pelo diretor Regional da Varig, Hélio Smidt. Foi ele quem o apresentou para o então dono da Maringá Turismo. Em seguida, contou com a ajuda de David Kopenhagen, o qual se tornou um grande amigo. “Foi assim que nasceu a Maringá”, contou o executivo. “No início vendíamos viagens de lazer, mas depois algumas empresas começaram a criar contas correntes. Passamos a partir disso, a atender o mercado corporativo”, complementou.

E a área de eventos? Esta veio um pouco depois, quando um cliente queria fazer a inauguração de uma fábrica em Minas Gerais. Segundo Arbaitman, há mais de 30 anos. “Até pouco tempo, este era apenas um setor dentro da Maringá, mas há cerca de 15 anos, a Volkswagen – que é um cliente nosso de 25 anos – resolveu fazer o lançamento de um carro e o setor de marketing, que na época era dirigido por Paulo Kakinoff, pediu para que a gente organizasse o evento”, disse. “Então tivemos que estruturar mesmo, pois iríamos lançar um carro trazendo milhares de clientes e concessionárias. Há dez anos, resolvemos transformar esse departamento em uma empresa independente, que é a Central de Eventos”, relatou.
O mesmo aconteceu com a Lemontech, empresa de tecnologia do grupo. Começou com a missão de prover soluções para a própria Maringá, mas cresceu e hoje atende outras agências e uma série de empresas. “Praticamente tudo que fazemos hoje é virtual. Atendemos na América Latina inteira e isso só é possível pela tecnologia”, acredita.

Ainda sobre tecnologia, Arbaitman fala sobre uma das grandes discussões do setor: as OTAs. Na opinião do empresário, elas atraem muita gente por um único motivo: investimento em publicidade. “No final, há uma taxa e as pessoas que compram acabam pagando até mais do que em uma agência convencional, com a desvantagem de não contar com os serviços do agente e com atendimento 24 horas”, afirmou.

OTIMISMO E TRABALHO
Embora um empresário de sucesso e presidente de um dos grandes grupos do turismo do Brasil, Arbaitman cumpre expediente regularmente no 9º andar do edifício 165 da Avenida São Luís. Como lembrança de sua atuação no setor público mantém um quadro do ex-governador Mario Covas em sua sala. Sempre que possível, profere a frase que dá nome a sua biografia: “Nada resiste ao trabalho”.

Não se trata apenas de uma frase feita e de efeito, mas sim de um lema de vida e que levou às suas empresas. Arbaitman recebeu a nossa reportagem em uma sexta-feira e ao falar um pouco sobre a estrutura da empresa, sem querer citou um exemplo de como cumpre à risca este lema. “Faremos algumas mudanças no escritório, por conta de uma reforma. Será amanhã (sábado). Virei acompanhar e ajudar”, disse.

Estamos participando de 62 BIDs e muito otimistas. Isso quer dizer que temos que lutar. Neste ano, a partir de maio, começou uma reação. Claro, que esta conturbação política atrapalhou um pouco

Além disso, ele prega também o otimismo. Questionado sobre a crise política e a situação da economia, o empresário não titubeou: “Não vou ficar pensando em crise. Temos que trabalhar, porque nada resiste ao trabalho, nem a crise”, frisou.

“Perdemos grandes empresas do setor, algumas com 50 anos de atuação. Isso envergonha e dificulta para todo mundo”, lembrou. “Nessas cinco décadas, fizemos reserva. No ano em que formos muito mal, assim como todo mundo, tiramos um pouco da reserva e mantivemos todo mundo. Agora, com uma situação melhor e novas contas, estamos prontos para crescer”, complementou.

Para ele, este trabalho e a forma otimista de ver as coisas gerem frutos. A Maringá Turismo, segundo Arbaitman, anunciará em breve novos (e grandes) clientes. “Estamos participando de 62 BIDs e muito otimistas. Isso quer dizer que temos que lutar. Neste ano, a partir de maio, começou uma reação. Claro, que esta conturbação política atrapalhou um pouco”, ressaltou. “Estamos muito satisfeitos, empenhados e trabalhando”, finalizou.

 

Fonte: Panrotas

Related posts