Marcos Arbaitman, da Maringá Turismo, analisa os rumos do Turismo brasileiro e prevê ciclo próspero

Diante desse panorama em construção, o presidente da Maringá Turismo, Marcos Arbaitman, se diz otimista e considera que as atuais medidas são apenas o princípio de um ciclo promissor para o Turismo brasileiro

Marcos Arbaitman, da Maringá Turismo, analisa os rumos do Turismo brasileiro e prevê ciclo próspero
(Crédito: Paulo Atzingen – DT)

Entrevista Por Paulo Atzingen

Texto Por Zaqueu Rodrigues

Nos primeiros cinco meses de governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o Turismo foi alçado a um patamar inédito: ganhou os holofotes e pautou o debate nacional e políticas em todas as escalas. A abertura do capital estrangeiro na aviação aérea e a queda do visto para turistas australianos, canadenses, chineses e norte-americanos, entre outras medidas adotadas, sinalizam um novo caminho para o setor no país.

Diante desse panorama em construção, Marcos Arbaitman, presidente da Maringá Turismo, se diz otimista e considera que as atuais medidas são apenas o princípio de um ciclo promissor para o Turismo brasileiro. “O cenário está muito melhor do que poderíamos imaginar em 2018. Agora, além de o mercado estar fechando mais negócios e viajando mais também, temos um governo federal honesto”.

De perto

Autor de uma trajetória virtuosa no mercado de turismo e na vida pública, que inclui a função de secretário de esportes e turismo do Estado de São Paulo, nas gestões Mário Covas e Geraldo Alckmin, Arbaitman acompanha de perto os trabalhos do Ministério do Turismo. “O atual ministro, Marcelo Pinheiro, deve ser gente boa, mas ele tem uns problemas. Ele precisa resolver isso, porque o Turismo é inexorável”, diz.

Arbaitman ressalta que a função mais importante do Ministério do Turismo neste momento é mostrar ao mundo que o Brasil é um país atraente; o que, segundo ele, não vinha acontecendo. “As pessoas que assumiam o ministério, com raras exceções, entre elas Vinicius Lummertz, pensavam assim: ‘Agora eu sou Ministro do Turismo, então eu vou viajar o mundo, vou à Paris’. Não é assim que funciona. Quanto menos o Ministro de Turismo viajar, melhor”, enfatiza.

Arbaitman lembra que a primeira fonte dos recursos que entram num país é via Turismo. Para explicar esse cenário, o empresário faz uma breve comparação. “Hoje, o Brasil recebe um pouco mais de 5 milhões de turistas estrangeiros por ano. A França recebe 73 milhões de turistas; já Israel, que é um pedacinho de terra, recebe 14 milhões de turistas. Ou seja, temos um potencial fantástico para desenvolvermos aqui no Brasil”.

Caminho próspero sem violência

Para avançar nesse caminho próspero, o país precisa enfrentar os maiores entraves para o seu desenvolvimento, avisa Arbaitman. E o maior desafio atende pelo nome de violência. “A medida mais urgente é trazer segurança ao Rio de Janeiro. Enquanto isso não acontecer, será muito difícil trazer turistas ao Brasil. Como convencê-los enquanto os assaltos estampam os maiores jornais do país? O Rio de Janeiro precisa acompanhar a cidade de São Paulo, que está num crescimento fantástico de segurança”.

No território paulista, o panorama está bastante favorável para o turismo, considera Arbaitman. “Aqui, temos um governador [João Dória] que trabalha 18 horas por dia, todos os dias da semana, sábado, domingo, feriado. Quando eu conheci o João Dória, ele tinha apenas 21 anos e era o presidente da PaulistaTur, a atual SPTur. O João Dória, além de amigo, é um homem do Turismo”.

Arbaitman considera que o Turismo paulista está sendo muito bem representado pelo secretário estadual da pasta Vinicius Lemmertz, ex-ministro de Turismo durante o governo Michel Temer. “A maneira de trabalho do Vinicius Lummertz é fantástica. Eu estou sempre contribuindo, dando conselhos de administração. Em São Paulo, com o João Dória e o Lummertz, vivemos uma possibilidade enorme de crescimento”, comemora.

Redução do ICMS em SP

Quanto às mudanças no setor de aviação, em especial a abertura das aéreas ao capital internacional, ele acredita que irão estimular a competitividade no país. Arbaitman exemplifica: “Se uma empresa aérea brasileira quiser operar nos Estados Unidos, por exemplo, ela vai lá, se instala e voa. Pronto. Aqui precisa ser assim também. Essas novidades são promissoras para aviação no Brasil”.

Em São Paulo, Arbaitman elogia a medida do governo estadual de reduzir o ICMS sobre querosene de aviação, que caiu de 25% para 12%. Como contrapartida, as companhias aéreas prometeram criar 490 voos semanais no estado.

Arbaitman se diz muito animado com os novos caminhos da aviação no estado de São Paulo. Em dezembro do ano passado, ele inaugurou o voo de São Paulo a Tel Aviv. “Muitos voos estão com lista de espera. O nosso aproveitamento está em 82%. A Latam está muito feliz”.

Essa demanda aumentará, prevê o empresário. “A procura não é apenas pela comunidade judaica da América Latina, mas também pela evangélica. Só no Brasil, estima-se ter um pouco mais de 20 milhões de evangélicos. E o maior sonho deles é… conhecer Jerusalém e a Terra Santa”.

Os voos também serão ampliados, adianta ele. “Hoje temos 3 voos semanais direto de São Paulo para Tel Aviv. E estamos estudando o quarto”. Arbaitman também revela que a El Al Israel Airlines também já se prepara para voltar a fazer a rota.

Contratação e novos negócios

Arbaitman afirma que o grupo que preside – Maringá Turismo, Central de Eventos e Lemontech – vive um momento de muito alento. “Este ano voltamos a contratar novos profissionais”.

Esse alento também se reflete nos números, mostra ele. “No mês de maio deste ano, o nosso faturamento cresceu 34.17% em relação a maio do ano passado. Saltamos de R$ 49 milhões para R$ 66 milhões. E as nossas transações aumentaram 23.88%”.

Arbaitman comemora que esse crescimento não se deve apenas aos novos clientes, mas, principalmente, aos permanentes, o que revela a melhoria dos negócios.

“De agora em diante, a tendência que mercado melhore ainda mais. Para isso, estamos esperando apenas as aprovações das reformas da Previdência e Tributária. A reforma política que pedíamos, essa já começou”, finaliza.

Fonte: Diário do Turismo

Related posts