Inteligência artificial avança, mas público exige humanização

Inteligência artificial avança, mas público exige humanização

Em tempos de inteligência artificial, mais vale um atendimento personalizado, próximo e empático, ou um rápido e focado em eficiência na resolução de problemas? Com o avanço dos chatbots e outros recursos tecnológicos, a humanização vem ficando um pouco para trás, mas será que é isso que as pessoas querem?

Em sua nova postagem no blog Mindset, da blogosfera do Portal PANROTAS, Gustavo Ellero, especialista em branded content, fala sobre o fato de que as pessoas estão cada vez mais buscando relações mais humanas, forçando as marcas a se humanizarem e diferenciarem.

De acordo com Ellero, a marca ou empresa que não perceber isso perderá espaço para seus concorrentes, seja na relação B2B ou B2C. Para saber mais sobre o assunto, confira o post completo neste link.

Leia mais em Panrotas

Related posts