Febre amarela: veja quais países exigem a vacina e saiba como tirar o certificado internacional

A ampliação da vacinação contra a febre amarela ainda gera muitas dúvidas entre os brasileiros, principalmente os que pretendem viajar para fora do país, já que diversas nações exigem o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). A partir deste mês, o Brasil também passou a ofertar doses fracionadas da imunização, mas nem todos podem tomá-las (viajantes que precisam providenciar o CIVP têm que tomar a dose padrão). Tire suas principais dúvidas abaixo.

Quais países exigem o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)?

O surto de febre amarela fez com que Equador, Colômbia, Cuba, Nicarágua, Bolívia e a Venezuela passassem a exigir a vacinação dos viajantes brasileiros em 2017. O Panamá também voltou a exigir o documento no ano passado. A lista de nações que pedem pelo documento é de mais de 100 países e pode ser consultada neste link do Ministério das Relações Exteriores.

Como tirar o CIVP?

Viajantes que precisam do CIVP devem se vacinar 10 dias antes do embarque. Com o comprovante de vacinação, precisam se dirigir ao posto de emissão do CIVP (confira a lista aqui) e pedir pelo documento, que fica pronto na hora. Alguns desses locais também oferecem a vacinação, mas é preciso consultá-los com antecedência para ver disponibilidade.

Dose fracionada x dose padrão

Viajantes que precisarem da emissão do CIVP têm que tomar a dose padrão da vacina. Por isso, consulte o local de vacinação para verificar disponibilidade. É preciso mostrar um comprovante de viagem no ato. Além dos viajantes, crianças de 9 meses a 2 anos, gestantes e pessoas com condições clínicas especiais (com HIV/AIDS, após término de tratamento com quimioterapia, com doenças hematológicas) também só podem tomar a versão padrão da imunização.

Idosos

Todos os idosos precisam passar por avaliação médica antes de tomar a vacina.

Vacina precisa ser renovada?

Uma só aplicação da dose padrão, segundo a Organização Mundial da Saúde(OMS) e o Ministério da Saúde, oferece imunidade por toda a vida. Já a dose fracionada precisa ser renovada em nove anos.

Outras informações no site do Ministério da Saúde.

Fonte: O Globo

Related posts