Photo Credit To Foto: Kaio Fragoso

Atualização das companhias aéreas que voam para o Brasil em meio à pandemia

Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido à pandemia de coronavírus e às restrições de viagens impostas por diversos países. Porém, algumas empresas continuam operando ligações entre cidades no exterior e São Paulo e Rio de Janeiro.

Veja abaixo a situação das principais empresas aéreas que operam no Brasil.

Azul:

  • A empresa brasileira opera de Campinas para Fort Lauderdale (quatro vezes por semana) e para Lisboa (duas vezes por semana).

GOL:

  • A companhia aérea brasileira pretende retomar os voos internacionais progressivamente a partir de setembro, começando com as rotas de São Paulo para Assunção (Paraguai), Buenos Aires (Argentina), Lima (Peru), Montevidéu (Uruguai), Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) e Santiago (Chile); e do Rio de Janeiro para Buenos Aires, Córdoba e Rosário, todos na Argentina.
  • A GOL ressalta que o retorno depende das restrições de viagem impostas pelas autoridades dos países nos quais a companhia opera na América do Sul, Central e no Caribe, além de recomendações das autoridades dos EUA.

Latam:

  • A empresa aérea brasileira opera de forma reduzida as rotas de São Paulo para Frankfurt, Londres, Madri, Miami e Santiago. Em julho serão adicionados quatro novos destinos: Ilhas Malvinas (a partir de 1º de julho), Lisboa (17 de julho), Cidade do México (15 de julho) e Montevidéu (14 de julho).

Aerolíneas Argentinas:

  • No final de abril, o governo da Argentina suspendeu todos os voos comerciais, tanto nacionais quanto internacionais, até 1º de setembro devido à pandemia. Somente os voos especiais de repatriação ou de carga podem circular no país durante o período. Por isso, a empresa retoma seus voos a partir do início de setembro.

Aeromexico:

  • A empresa mexicana retomará seus voos regulares entre Cidade do México e São Paulo a partir de 06 de julho (duas frequências semanais).

Air Canada:

  • A companhia canadense retoma os voos diários entre Toronto e São Paulo a partir de 1º de agosto.

Air China:

  • A companhia chinesa, que faz a rota São Paulo-Madri-Pequim, suspendeu suas operações nesta rota até 30 de julho. Ela afirma ainda que a retomada das operações dependerá da prevenção e controle da covid-19.

Air Europa:

  • A companhia espanhola retomará seus voos de Madri para São Paulo no dia 15 de julho (três frequências semanais). A rota da capital espanhola para Salvador voltará a ser operada em setembro, com duas frequências semanais. Já os trajetos para Fortaleza e Recife voltarão a receber voos de Madri a partir de novembro, ambos com duas frequências semanais.

Air France:

  • A companhia francesa opera três vezes por semana entre Paris e São Paulo; e uma vez por semana entre a capital francesa e o Rio de Janeiro. A partir de 6 de julho, ela aumenta a frequência para São Paulo (5 vezes por semana) e para o Rio de Janeiro (3 vezes por semana). Não há previsão ainda para a retomada das operações para Fortaleza.

Alitalia:

  • O sistema de reservas da companhia aérea italiana indica que os voos de Roma para São Paulo e Rio de Janeiro serão retomados a partir de 1º de setembro.

Amaszonas:

  • A empresa aérea boliviana começa a operar a rota entre Santa Cruz de la Sierra e São Paulo a partir de 15 de julho. No sistema de reservas da companhia não é indicada a retomada dos trajetos de Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu para Santa Cruz de la Sierra.

American Airlines:

  • A companhia americana retoma a partir de 5 de agosto as rotas de Miami para São Paulo e Rio de Janeiro, além do trajeto entre Nova York e São Paulo. Em 25 de outubro serão retomadas as seguintes rotas: Dallas e Los Angeles para São Paulo; Miami para Brasília; e Miami para Manaus. O voo sazonal entre Nova York e Rio de Janeiro será realizado a partir de 17 de dezembro.

Avianca:

  • A companhia aérea colombiana afirmou que os voos de Bogotá para o Brasil devem ser retomados a partir de 1º de setembro. Não há ainda previsão para o retorno das operações regulares de Lima para São Paulo e Rio de Janeiro.

Avior:

  • A empresa venezuelana, que opera a rota entre Manaus e Caracas, suspendeu todos os voos nacionais e internacionais até 12 de maio. O sistema de reservas da companhia ainda não indica a retomada da rota.

Boliviana de Aviación:

  • A empresa retoma os voos diários entre São Paulo e Santa Cruz de la Sierra a partir de 1º de julho. Já no mês de outubro, a companhia pretende adicionar os trajetos de Guarulhos para Cochabamba e La Paz, com três e duas frequências semanais, respectivamente.

British Airways:

  • O sistema de reservas no site da companhia indica que os voos diários de Londres para São Paulo serão retomados a partir de 1º de agosto; para o Rio de Janeiro, a partir de 1º de setembro.

Cabo Verde Airlines:

  • A empresa aérea do país africano, que operava no Brasil voos para Fortaleza, Recife e Porto Alegre, suspendeu todas as suas operações. Ela retomará a rota entre Ilha do Sal e Recife a partir de 1º de outubro. O sistema de reservas não indica ainda quando serão operados novamente os trajetos para Fortaleza e Porto Alegre.

Copa Airlines:

  • A empresa iria retomar seus voos internacionais no final de junho, mas terá que adiar porque a Autoridade de Aviação Civil do Panamá prorrogou por mais 30 dias a suspensão de todos os voos internacionais no país. Agora, a companhia deve retomar suas rotas no dia 22 de julho.

Delta Airlines:

  • A empresa americana, que pretendia retomar a rota entre Atlanta e São Paulo em junho, retirou o aeroporto de Guarulhos de sua programação. Não há informações oficiais sobre quando este trajeto será reativado, como também as rotas de Nova York para São Paulo; e de Atlanta para o Rio de Janeiro.

Edelweiss:

  • A empresa aérea retoma seus voos entre Zurique e Rio de Janeiro a partir de 1º de outubro (uma vez por semana). A partir de 27 de outubro, ela acrescenta mais uma frequência semanal.

Emirates:

  • A companhia tem previsão para retomar o trajeto entre Dubai e São Paulo a partir de 2 de julho (quatro voos semanais); e para o Rio de Janeiro, a partir de 2 de agosto (quatro voos semanais).

Related posts